120 pessoas já foram presas no Piauí por tentarem fraudar concursos públicos

0
25

Pelo menos 120 pessoas já foram presas, indiciadas pela polícia e denunciadas à Justiça pelo Ministério Público Estadual por fraudes a concursos públicos no Piauí nos últimos anos. Ao todo, a Polícia Civil, por meio do Grupo de Repressão ao Crime Organizado (Greco), já acompanhou 15 concursos no Estado, nos quais atuou na fiscalização antes, durante e depois das provas.

As informações foram repassadas pelo delegado-geral de Polícia Civil do Piauí, Riedel Batista, durante coletiva para apresentação do plano de ação para segurança na aplicação das provas objetivas do concurso do Ministério Público Estadual, que acontece no próximo domingo (23) em Teresina.

Cerca de 200 policiais do Greco e de unidades de polícia especializadas atuarão no concurso, na parte de fiscalização interna e externa. “Nós teremos agentes à paisana entre os candidatos, observando qualquer comportamento suspeito, além de homens identificados e equipes preparadas para lavraturas de flagrantes”, afirmou o delegado Riedel.


Da esquerda para direita: delegado Willame Morais, do Greco; delegado Riedel Batista e Cleandro Moura, procurador-geral de Justiça (Foto: Assis Fernandes/O Dia)

O Greco e a Diretoria de Inteligência da Polícia Civil já vinham monitorando o processo de inscrição dos candidatos, identificando inclusive pessoas que já eram investigadas por envolvimento em fraudes em outros certames. A polícia não informou quantos investigados se inscreveram no concurso do MPE, mas disse que a eles será dada uma atenção especial no dia da aplicação da prova.

“São pessoas que atuam como nômades, que prestam concursos em vários cantos do Brasil, sempre que veem uma possibilidade de burlar as regras do certame e cometer algum tipo de fraude para levar vantagem sobre os outros candidatos. Nós temos nomes e rostos e mantemos essa base de dados sempre atualizada com informações que a nossa Diretoria de Inteligência recebe de todo o país”, completa o delegado-geral.


Foto: Assis Fernandes/O Dia

Membros do Ministério Público, da Polícia Civil e da Cespi, a organizadora do concurso, se reunião amanhã (20) para traçar em detalhes o plano de ação a ser executado no dia da prova. Ao todo, 16.500 pessoas se inscreveram no certame, disputando um total de 26 vagas. A remuneração varia de R$ 4.023,00 para nível médio a R$ 6.241,00 para nível superior.

Por: Maria Clara Estrêla / Portal O Dia

SEM COMENTÁRIO